Depoimentos

Depoimento de viajante – Ellen

Olá pessoal ! hoje recebi um Depoimento de Viajante muito bacana e interessantíssimo para as mamães viajantes ! É a Ellen, ela viajou para New York com sua bebê e aqui ela conta como tudo ocorreu com muitas dicas para quem quer viajar com seus filhotes ! Espero que gostem e muito obrigada Ellen por seu depoimento ! ❤

Conheci o blog da LuRussa há 9 anos atrás, quando eu saí do país pela primeira vez para me aventurar num pós-doutorado na Espanha, e sempre viajei junto com ela nas postagens e andanças pelo mundo. Coincidentemente, a Lu foi desbravar Nova Iorque nas vésperas da nossa viagem em família, então aproveitei para acompanhar e anotar algumas dicas.

Na primeira vez em que fomos para Nova Iorque, eu ainda estava grávida e foram dias de muito frio pós-nevasca. Aproveitamos o único dia de sol para ir ao Empire State Building e para conhecer a Estátua da Liberdade, e dedicamos os dias de neve para conhecer os museus. Desta vez, com um tempo mais agradável, pudemos explorar as aventuras de viajar com uma bebê de 1 ano e 9 meses!!

Fomos eu, meu marido, sua filha de 14 anos e a bebê em dois vôos noturnos na classe econômica da American Airlines. Apesar do feriado de carnaval, os vôos não estavam lotados. No vôo da ida, a empresa nos reacomodou em duas janelas com dois lugares, então voamos tranquilamente e a bebê pôde ir sentada em sua própria cadeira. No vôo da volta, nos recondicionamos por nós mesmos em duas janelas com três lugares. Assim, as meninas poderiam usufruir duas cadeiras cada uma. Para quem é mãe ou tem 1,86m, ou os dois como eu, este fator é fundamental e garante o sono tranqüilo do bebê. A empresa não ofereceu uma alimentação especial para a bebê (eu também não fiz solicitação prévia), mas ofereceu uma bandeja para ela também. Ela comeu o que costuma (cenoura, ervilha, macarrão, biscoito de água e sal) e tomou suco de laranja e água. A programação infantil no vôo também a entreteve, uma vez que eu não faço uso de celulares ou tablet com programações para ela. Geralmente levo um brinquedinho e um livro e ela fica bem com isso mesmo. Os vôos foram tranqüilos, ela comeu, viu um pouco de desenho e dormiu o tempo todo. Nunca teve problema de pressão no ouvido e caso precise, os banheiros contam com trocador.

Ah! Eu não viajo com carrinho. Nunca viajei com eles, sempre carreguei a bebê no sling ou canguru. Um canguru é fundamental para viagens a passeio, principalmente na hora do cochilo ou quando bate aquele vento!!!

Seguindo a primeira dica que peguei com a Lu, comprei o MetroCard para todos. Compensa mesmo! E fomos valentes!! Ida e volta de Manhattan de metro!! Nos horários de rush, com malas e bebê no colo! Já havia visto que o hotel ficava bem pertinho do metro e não precisávamos fazer nenhuma baldeação e foi bem tranqüilo.

Ficamos no The Manhattan at Times Square Hotel, localizado na esquina da 7ª avenida com a 51th. O hotel é antigo, com quartos limpos e cômodos para uma família como a nossa. A localização é excelente, há duas quadras da Times Square. Você sai do hotel e pronto: já está no burburinho. Os funcionários são excelentes, nos liberaram o quarto às 7:00 e nos deixaram sair às 16h, enquanto os horário de check-in e check-out são 14h e 12h, respectivamente. Foram generosos pelo fato de estarmos com o bebê. Pode até parecer que não, mas esses horários fazem muita diferença após um longo vôo. Nós ficamos muito contentes com a escolha.

Dicas de mamãe:

– AMAMENTAÇÃO

Eu ainda amamento a minha bebê e achei que poderia ser um problema devido ao frio e à cultura. O primeiro tirei de letra, pois não estava nevando. Aboli o sutiã e usei blusinhas de alcinha com um suéter por cima e um casaco grosso para completar. Desta maneira, ficava fácil amamentar no metrô, museus, restaurantes, caminhando, sentada na Times Square e etc. Quanto à cultura, havia lido que os americanos eram meio polêmicos quanto aos seios à mostra mas não tive problema nenhum, não percebi nenhum olhar desaprovador, muito pelo contrário. Senhorinhas sempre sorridentes me olhando e concordando com a cabeça. Em determinado momento, um moço pediu para me desenhar dentro do vagão do metro durante uma viagem. Pena que ele desceu e fiquei sem uma cópia.

– ALIMENTAÇÃO

Minha bebê não come papinhas industrializadas e é fã de feijão com arroz. Achei muitas variedades das primeiras e nem me aventurei a procurar restaurantes brasileiros, mas pode ter certeza de que eles existem e podem ser boas opções caso seus filhos sejam “difíceis” para aceitar novos sabores.

Logo quando fizemos o check-in no hotel, saímos para tomar café no Tim Hourtons e aí já tivemos uma boa sacada: os americanos costumam tomar sopas e então não teríamos problemas com a comida. Dito e feito, a sopa de “chicken and noodles” do Tim Hourtons virou a favorita. Barata e gostosa vem com macarrão, cenoura, pimentão e frango. Joana tomava até o caldinho.  Assim, quando saímos para passear sem saber onde pararíamos, passávamos no Tim Hortouns, comprávamos a sopa e transferíamos para um potinho térmico. Foi assim que Joana almoçou no meio da Brooklin Bridge e dentro do One World Observatory.

Outra sopa favorita foi a de ervilha do Junior’s. Bem consistente e cremosa, a bebê curtiu muito. Aliás, o cheesecake original deles é uma delícia também! Assim como outras comidinhas. Nós provamos muitos itens do cardápio em vários dias da nossa viagem. O local é bonito, moderno e agradável, com um cardápio que agrada bem várias idades e preços justos. Recomendo para quem quer dar uma paradinha no passeio, apreciar o movimento (eles têm mesas externas) e bom atendimento. Fui lá com a dica do cheesecake da LuRussa e no final já queria morar naquele lugar rs.

– PASSEIOS

Como a LuRussa, atravessamos a Brooklin Bridge nas duas direções à pé e, apesar de cansativo, foi uma boa escolha. O dia estava lindo e ensolarado e a travessia é prazerosa. Na ida a bebê estava dormindo, mas voltou toda serelepe andando e brincando. O único cuidado que tivemos que tomar foi com as bicicletas, mas em geral foi tranqüilo. Não chegamos a descer no parque no lado do Brooklin. Eu queria levá-la ao carrossel, mas já estávamos cansados e achamos melhor voltar.

Escolhemos visitar o Top of Rock no início da noite e foi uma boa pedida. A vista noturna de NYC é de tirar o fôlego! Como existem três observatórios na cidade (Empire State, Top of Rock e One World), recomendo que subam em um deles à noite para visões diferentes. E recomendo o Top of Rock por ter a mesma visão do Empire State (incluindo o mesmo) e ser fechado. No Empire State, a área de observação é aberta e venta muito. E o One World Observatory te dá uma visão geral de todos os ângulos da cidade, o que fica melhor visualizado e muito charmoso de dia. Também visitamos o MOMA. É um museu pequeno e viável de se visitar com um bebê. Ela se encantou com quadros com cavalos e cachorros.

Nas ruas, a carreguei no colo e também andei de mãos dadas. Na verdade, às vezes ela soltava a mão e até atravessava a rua sozinha. Apesar da muvuca, as pessoas são receptivas com crianças e passeamos tranquilamente pelas ruas e avenidas da Big Apple.

– COMPRAS

Carter’s! Toda mamãe já ouviu falar nesta marca. Minha dica é: comprem on-line e mandem entregar no hotel ou retirar na loja mais próxima. É a opção mais barata e com mais descontos. As lojas são uma bagunça e reviradas, você vai acabar perdendo tempo e paciência. Comprar on-line também te permite melhores escolhas e economias.

Para brinquedos, optei pela Target, mas também há outras boas lojas. Aproveitei os descontos do feriado do President Day e fiz as compras pela internet para entregar na loja. Fomos até lá retirar, o que deu um pouco de trabalho, mas nada de outro mundo. Também recomendo a rede de lojas KMart, que é uma grande loja de departamento com muitas opções para todas as idades.

Bem, este foi um breve relato do nosso passeio em família com um bebê e espero que ajude nas dúvidas de alguma mamãe de primeira viagem, literalmente.

Beijos

Ellen

PARA VER OUTROS DEPOIMENTOS DE VIAJANTES, CLIQUE AQUI !

Anúncios
Depoimentos

Depoimento de Viajante – Mirian em Buenos Aires

mirian
 ‘ Viajar é tirar férias de si mesmo. Uma vez li esta frase e comecei a me perguntar por que não viajar? É caro? Por onde começar? Em uma das minhas visitas a um blog de emagrecimento conheci o blog da LuRussa, eu viajava junto lendo os posts. Então li um blog que fez a diferença e me encheu de ânimo para sair da zona de conforto. O post tem o tema ” Por falar em viagem e viajar…”  li este post este ano e encarei minha primeira viagem internacional.
No último dia 21 de outubro eu e meu marido decidimos que estava na hora de sair em lua de mel (com 8 anos de atraso, isso mesmo, 8 anos após o casamento saimos em lua de mel), porém foi A LUA DE MEL em Buenos Aires. Pesquisei no blog da Lu e encontrei dicas valiosas sobre Buenos Aires, de passeios, gastronomia…
Foram só 4 dias, mas 4 dias intensos com muitos passeios e caminhada. Nos hospedamos no hotel Nogaró, que fica muito próximo a Plaza de Mayo, uns 3 minutos da Casa Rosada. O local é estratégico para passeios, pois nosso ponto de refêrencia para volta ao hotel era a Casa Rosada, como não falamos espanhol (isso não foi impecilho para viajar), dava pra voltar ao hotel fácil.
Conhecemos a charmosa Recolleta e sua feira de artesanato, com peças lindas e bem criativas, andamos de bicicleta em suas ruas e praças, eu não andava de bicicleta há mais de 15 anos! Experimentamos o sorvete M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O DE Dulce de leche (J-zuiz!) e como não poderia deixa de visitar o El Club de la Milanesa e almoçamos muito bem!  Neste mesmo dia de fortes emoções ainda visitamos a feira de San Telmo e Porto Madero.
Gente o que é aquele bife de chorizo!!! Incrivél! Não podia deixar de experimentar as tão citadas empanadas!
Fizemos um passeio pelo Delta do rio Tigre, lindo mercado de móveis e artesanatos rústicos (meu marido me tirou da lojas pelo braço, queria levar tudo!).
mirian1
img-20161023-wa0011
Assistimos um show de tango no famoso Señor Tango, incrivel! Nossa como os argentinos são sensuais! Os homens com o olhar galanteador e as mulheres bem vestidas. Percebi que o argentino diferente do brasileiro expressa sensualidade no olhar.
A histórica Carminito, linda e boêmia… Onde pudemos almoçar o tradicional bife de chorizo, em uma mesa na calçada ouvindo tango ao vivo e assistindo uma apresentação de dançarionos de tango… coisa boa!
Enfim, foi maravilhoso, a minha rotina, meus problemas e todo cansaço ficaram no Brasil. Pude tirar férias de mim mesma, lá eu era somente Mírian, foram dias reflexivos e pude enfim encontrar o que faltava em mim.
Agradeço ao blog da LuRussa por descomplicar o que culturalmente muitos acham complicados, depois de conhecer o blog descobri que não preciso de tantas roupas ou pares de sapato, que meus filhos não precisam de tantos brinquedos, precisamos de mais momentos, menos consumo e mais momentos. ‘
mirian2
———————————————————-
———————————————————-
Esse foi o depoimento da Mirian, lá de Lauro de Freitas, da nossa querida Bahia. Poxa, fiquei muito feliz com a viagem da Mirian, e ela já me confidenciou no e-mail que está planejando uma próxima, para um lugar dos sonhos, eu já sei onde é, mas vou ficar aqui quietinha torcendo para que ela consiga ir e tenha momentos maravilhosos lá . 
Depoimentos

Depoimento de Viajante – André no Rio

O André é um conterrâneo meu aqui que me pediu ajuda com hospedagem no Rio, me perguntou se eu conhecia uma pousada ou hotel com preço razoável no Rio. Eu como nunca fui ao Rio…rsrsrs… mas sempre ouvi falar muito bem da Pousada Bonita, em Ipanema, e foi essa que indiquei para ele. Aí, claro, pedi que ele fizesse um depoimento aqui pra gente. 🙂

Vista do Cristo

Fui convidado a contar minha experiência de três dias na capital carioca aqui no Blog da Lu Russa. Penso que esse relato pode ajudar a quem quiser se aventurar pela cidade maravilhosa sem esbanjar suas economias rsrs…

A ideia da viagem surgiu para que eu pagasse a promessa de levar o meu bebê no corcovado ver o Cristo. Fomos eu, a esposa, o bebê e a sogra(!) Antes que pensem que a D.Thereza foi pra ser babá do neném, aviso que mãe e filha se divertiram juntas e eu me diverti com o bebê… rarara.
rio1
Ficamos no Bonita Ipanema que foi concebido pra ser Hostel mas pela estrutura de alguns dos seus quartos e o serviço oferecido, podemos chamar de pousada. A localização é ótima! No coração do bairro de Ipanema, o hostel está a três quadras da praia, bem próximo da pedra do arpoador e sendo assim, da linda Copacabana. Dá pra fazer turismo a pé por toda essa região que é de encher os olhos.

Aliás, eu fui com o meu carro o que dificultou um pouco por lá. O hostel não tem estacionamento e uma boa conversa com tiozinho do Zona Azul ajudou a economizar na diária dos estacionamentos da região. Certamente teve churrascada na casa da família no final da semana.

Ir de ônibus ou avião pra lá é o ideal. O transporte público do Rio é um show! Quem anda de ônibus em São Paulo por exemplo, pensa que protestar contra ônibus no Rio é heresia. O GPS do celular funcionou muito bem pra achar linhas de ônibus e mostrar onde descer. Não sou fã de táxis, mas também é uma opção.

A rua de baixo do hostel é a Visconde de Pirajá. Nela passa praticamente todas as linhas para os principais pontos turísticos do Rio: Corcovado, Pão de Açúcar, Jardim Botânico, Arcos da Lapa… tudo fica a “um pulinho” dentro do ônibus que tem ar condicionado e muito conforto. Penso que coletivo lotado mesmo só aqueles que vem de bairros pela manhã e a tarde. Lembrando que ficamos no Rio segunda, terça e quarta: dias de semana e de expediente normal e justo na semana de protestos nos fins de tarde. Mas também não vimos nenhum manifestante por lá. Só na TV. Deixei o carro na rua e só andamos de ônibus mesmo.

A pousada Bonita Ipanema é muito boa. Tom Jobim morou naquela casa – esse é um dos chamarizes do local! Apesar do preço bem mais em conta em relação aos hotéis, o pequeno quarto em que ficamos tinha uma cama de casal e outra de solteiro, com banheiro privativo e cofre. Existe a opção de quartos para uma ou duas pessoas, sem banheiro, com preços mais baixo ainda.

A diária oferece café da manhã: leite, café, chá, achocolatado, cereais, frutas diversas e pãozinho com frios pra esquentar em uma sanduicheira. À noite, os jovens (que são a maioria dos ocupantes dos quartos) usufruem do bar interno que fica aberto até meia-noite. Sinuca, Totó e uma piscina completam os serviços do hostel que tem também Wi-Fi gratuito. Muitos estrangeiros estavam hospedados lá. Muitos estrangeiros estão por todo o Rio de Janeiro… rsrs

Em resumo: O Bonita Ipanema, mesmo fazendo o tipo albergue, foi uma excelente opção pra você aproveitar as belezas do Rio de Janeiro. Se eu que fui com a família, com uma criança de 4 anos aproveitei muito, imagine quem for sozinho ou com sua cara-metade apenas! Valeu!

rio

http://www.bonitaipanema.com/

Depoimentos

Depoimento de Viajante – Ana e Marcus na Rússia

anaEmbora nunca tenha sido o meu sonho conhecer a Russia sempre foi do Marcus. Ele vivia falando da imponência e emoção da praça vermelha, Kremlin, Czares, canais de St.Petesburgo, vodkas, caviar rsrs.

an
ana4

Achamos uma Europa mais caricata, com mais malandragem, os taxistas são bem espertos, preço fechado, vale barganhar sempre.
Acho que me apaixonei mais que o marido, me empolgo em escrever e lembrar das nossas andanças pelo Kremlin, o cheiro das flores, o metrô que mais parecia um palácio subterrâneo, ah preciso confidenciar que comi strogonoff 4 dias quase que consecutivos, é meu prato preferido.

Ficamos hospedados no Kempinsky Baltschug Moscow, acesse o link do hotel : http://www.kempinski.com/en/moscow/hotel-baltschug/welcome/ ,bem localizado, com vista para a catedral de São Basílio,  mas o custo benefício não valeu a pena, achei tão caro hotel na Russia, aliás tudo lá tem um preço bem salgado.Nós temos um amigo querido que ia sempre a trabalho para lá e nos indicou um restaurante divino chamado café Pushkinhttp://www.cafe-pushkin.ru/en/,  divino.

Nossa viagem pela Russia durou uma semana, sendo 3 dias em Moscow e 4 dias em St.Petesburg, foi bem corrido, conseguimos dar uma pincelada em tudo que almejávamos e que tinha lido pelo blog da Lu Russa.Claro que acordávamos bem cedo e á noite eramos só o pó, mas não me cansava de tirar e ver e rever as fotos (ahah adorooooo tirar fotos, tiro milhares).Fizemos via Alemanha, aproveitamos para conhecer Berlim, mas teria ficado com certeza pelo menos 2 dias a mais na encantadora St. Petesburgo, admito…foi minha cidade preferida nessa viagem.

St. Petesburgo é um caso a parte, a Veneza do báltico, ah parece cenário de filme, imponente, adorável, encantadora, passei quase que o dia todo no museu Ermitage, no palácio de inverno…, passeio de barco pelos canais é super romântico, a imponência da catedral de São Isac, que particularmente achei o templo mais vistoso da cidade, sendo obrigatória a subida na cúpula para tirar fotos lindíssimas, apreciar a vista. A Fortaleza de São Pedro e São Paulo fica do outro lado do rio, onde estão enterrados alguns czares,  esperava mais do lugar, mas vale a caminhada, tinham alguns restaurantes super legais por perto.

Ficamos hospedados num hotel hiper charmoso, W, recomendo muitíssimo, bem localizado, moderninho, tem um bar bem agitado na cobertura, com vista previlegiada e o restaurando é delicioso. Acesse o link do hotel : 
http://www.starwoodhotels.com/whotels/property/overview/index.html?propertyID=3270&language=en_US

Vai ser difícil esquecer da culinária, o povo, as cores desse lugar mágico, como é bacana conhecer novos lugares, a cultura e os costumes de outros povos. A Russia é incrível, ficará  para sempre na memória os dias especiais que passamos por lá.

ana1
A Ana Regina é uma colega de escola da época de jardim da infância até colégio….rs… conterrânea minha aqui, e que fiquei muito feliz por seu depoimento e principalmente por ter gostando tanto da Rússia, inclusive St Petersburgo, minha cidade querida ! Muito legal quando eu vejo cada vez mais as pessoas conhecendo a Rússia, e fico mais feliz ainda quando alguém se empolga com meu blog e acaba indo pra lá. ! 

E aí ? Ficaram com vontade de seguir o que a Ana e o Marcus fizeram ??? 

Depoimentos

Depoimento de Viajante – Alexandra, na Rússia

Nas ultimas férias, um dos meus destinos foi a Russia, em Maio/Junho deste ano. Nessa época do ano, em Moscou, costuma escurecer depois das 10h da noite e já fica claro às 4h da manha. Estive nas cidades de São Petesburgo, Moscow e Novgorod.

Em Moscow, fiquei no Hostel Godzillas (indicação do Blog), que tem um ambiente jovem, descontraído, é limpo, organizado e muito, muito bem localizado. Perto, tem vários cafés, restaurantes, estação de metro, pracinhas, um mercadinho que fica aberto até mais tarde. Visitei o bairro kitai gorod, arbat, o parque gork, sky bares com vista de toda cidade, a Catedral Cristo Salvador, o luxuoso shoping GUM, catedral de São Basílio, Kremlim, Praça Vermelha, o teatro bolshoi, as inumeras igrejas que tem por toda a cidade (é impressionante! As vezes, chega a ter uma a menos de 200 metros da outra, com aquela arquitetura diferente e fascinante), as estações de metro são lindas, com vitrais, estátuas, lustres enormes, bustos de pessoas famosas, uma atração à parte!

Moscow é uma metrópole cosmopolita, agitada, como eu já tinha ouvido muito falar: é realmente um outro país dentro da Rússia, pois nas duas outras cidades, foi um pouco diferente. De Moscow fui a Novgorod, que é uma pequena e fascinante cidade russa histórica, ao norte de Moscou, fui de trem e a viagem durou toda a noite. Me hospedei no hotel Volkov, pertinho da estação de trem, uns 10 minutos a pé. O hotel era simples, barato e com boa localização também, no dia que cheguei, os adolescentes estavam comemorando o fim do colegial, então, tinha gente por toda a cidade fazendo festa, tirando fotos com os colegas.

Visitei o kremlin, que é muito bem cuidado, com varias igrejas e monumentos.Embora as pessoas não falassem inglês, eles sempre estavam disponíveis para ajudar, dar alguma informação ou apenas serem gentis.

São Petesburgo, é uma cidade linda, com varias construções que impressionam pelo tamanho e beleza. Fui a catedral de Santo Isaac, fiz um passeio de barco a noite para assistir a abertura das pontes, o metro de la é tão lindo qto o de Moscou, um show de arquitetura, fui a Peterfof, fiquei horas naquelas livrarias gigantes de vários andares (a Lu tb tinha comentado aqui no blog), fui a vários cafés charmosos, gostosos e baratinhos, as vezes, eu simplesmente andava pela nievsky prospect, que é sempre movimentada e segura, inclusive, de madrugada. Como não fumante, uma coisa que me incomodou na viagem a Russia é que lá, não existe um espaço restrito para fumantes, ou seja, as pessoas fumam nos cafés, bares e restaurante, na rua, sem o menor respeito pelo que não fuma. No fim do dia, eu já tinha fumado passivamente dezenas de cigarros, alem de ficar com a roupa e o cabelo cheirando a cigarro.

 Li bastante sobre a Rússia aqui no blog, me diverti e aprendi muito sobre a cultura com as descrições da Lu, a verdade é que cada vez que eu lia, eu ficava mais curiosa para ir lá me certificar das coisas que eu estava lendo.

O povo russo é bastante hospitaleiro e bacana, num segundo momento. Bem parecido com o povo brasileiro como a Lu diz. Quando você esta em apuros, sempre aparece alguém para te ajudar. Fui ajudada varias vezes, no metro, sempre aparecia um para me ajudar a subir e descer escadas com as malas. Quando eu estava procurando informações sobre um guarda volumes na estação de metro, teve uma mulher que deixou o marido dela e foi comigo em busca de informações. No dia que a senhora atendente mal humorada da venda de bilhetes de trem disse não enteder inglês, um casal, que tb não sabia inglês, fez mímicas para que pudéssemos entender se o bilhete que eu queria comprar era numa cabine com cama, se era de ida e volta ou somente ida. Na verdade, todos esses exemplos que dei foram em Moscou, que por mais cosmopolita que seja, ainda é necessário que vc tenha uma noção do alfabeto cirílico e de poucas palavras em russo, pois nem todos entendem inglês e tem paciência para tentar entender o que vc quer dizer.  Nas outras cidades russas, não tive nenhum problema com a língua. Estudei um pouco de russo mas falo pouco, tenho noções do alfabeto cirílico. Adorei todas as comidas russas típicas que experimentei.

Durante a minha viagem, me apaixonei por aquele povo, pela cultura, pela historia do pais, pela comida, pelas paisagens entre uma cidade e outra, e me identifiquei muito pois me lembro de ter lido no blog da Lu descrevendo o qto ela era apaixonada pela Rússia.

Bolivia, Depoimentos

Depoimento de Viajante – Flávia e Robson , Bolívia

Boa tarde Lu Russa  gostaria de agradecer imensamente pelo posts que você realizou em relação a viagem que fez a Bolivia.
Minha esposa e eu estivemos lá do dia 05.07.12 até 10.07.12 seguindo o seu blog, sem dúvida foi primordial para nós, seguimos seus passos e comentavámos de você a todo momento, tipo: – Olha, ela esteve aqui !! ou – Eu vi está foto no site!!, kkkk.
 
Sem dúvida a Bolivia nos deixará saudades, e com certeza vamos voltar, pois planejamos nossa viagem da seguinte forma:
 
1 Dia – São Paulo – La Paz
2 Dia – Climatização, fechar os passeios e conhecer a cidade
3 Dia – Death Road
4 Dia – Tiwanaku
5 Dia – Chacaltaya + Valle de La Luna
6 Dia – Retorno a São Paulo
 
Ficamos no Hostal Copacabana, comemos nos El Pot Colonial, entre outras dicas . Nosso custo de viagem ficou em R$900,00 (fora as passagens) para realizar tudo isso em duas pessoas.
Conseguimos realizar tudo que gostariamos e acredito que não poderia ser melhor.
Digo que iremos voltar pois iremos realizar os passeios ao Salar (3 dias) e depois vamos para Copacabana (2 dias) seguindo para Cusco. 
Enfim, em nome de minha esposa Flávia e eu (Robson) gostariamos de compartilhar esta emoção e sensação de liberdade que nos é invadida quando viajamos, somente nós (mochileiros) sabemos a sensação de poder seguir nosso caminho e conhecer lugares exóticos (ex: Bolivia), que segundo o comentário da Lu, sempre é criticado por alguém se falamos que vamos até lá, e são estes tipos de comentários que nos faz irmos além.
 
Um forte abraço e em muito em breve nos falaremos de novo.