Archive

Arquivo por Autor

Seattle – Capitol Hill

26 de maio de 2017 Deixe um comentário

Capitol Hill é um bairro de Seattle super mega popular ! todos querem ir pra lá, claro. Ele tem o apelido de “The Hill” , ou seja, O morro, por que é um morro literalmente, é muita , mas muita subida, ruas muito ingrimes, é literalmente em um morro, em cima de tudo, da cidade inteira de Seattle. É muito pertinho do centro de Seattle, eu fui a pé até o Capitol Hill, mas a subida não é fácil, depois na descida você tem que ficar brecando o pé para não rolar ladeira abaixo hahahaha.

Capitol Hill é o bairro onde mais se lembra o cenário grunge de Seattle. Nesse bairro você respira arte, música, cultura , você vive as diferenças. Muitos bares, baladas, lojas de tatuagens, diversos cafés super modernos, vida noturna e diurna muito agitada em Capitol Hill. É o bairro alternativo de Seattle.





Um lugar ícone em Capitol Hill é a escultura de Jimi Hendrix, que fica entre a Broadway e Pine Street. Essa scultura foi inaugurada em 1997 e é visitada regularmente pelos turistas a passeio em Seattle.

Uma coisa que percebi nesse bairro Capitol Hill é que algumas ruas tem as faixas de pedestre como um arco iris, indicando que o bairro é “gay – friendly” e também são indicadores de bares e clubes gays que existem lá no bairro.



Uma unidade linda do Starbucks também se encontra em Capitol Hill :

Mas um lugar que encontrei por acaso no bairro de Capitol Hill foi o Mighty -O Donuts. Um café de donuts que eu fiquei apaixonada ! cada um mais apetitoso que o outro. E o lugar tem um ambiente super gostoso, ótimo atendimento, super recomendo. O donut que eu pedi foi o de french toast , ou seja rabanada, sabe aquele gostinho de canela caramelizada ? hmmm




Mighty – O Donuts

12th Avenue , Capitol Hill

Categorias:Seattle, USA

Seattle – Fremont

24 de maio de 2017 Deixe um comentário

Fremont é um bairro super charmoso de Seattle que já foi uma cidade separada, juntando-se à Seattle em 1891. O bairro de Fremont fica ao longo do Lago Washington , atravessando o porto de navios que tem por lá. Do centro de Seattle você pega o ônibus número 40, na 3rd and Pine Street, com destino à Fremont Ave N . É bem fácil.




Um atrativo bem popular desse bairro é o Fremont Troll, uma escultura de um troll, ou seja, tipo um monstro, que fica embaixo de uma ponte. A história dessa escultura enorme é que em 1990 houve uma competição de arte na cidade para reabilitar todas as áreas embaixo de pontes de Seattle que estavam sendo usadas pelos muitos usuários de drogas da cidade. Enfim, essa escultura Fremont Troll ganhou a competição e está lá até hoje. 🙂


Outra atração que tem nesse bairro é uma feira de domingo chamada Fremont Sunday Market. Essa feira tem praticamente de tudo, comidinhas, roupas usadas, food trucks, antiguidades, muita porcaria também, coisas antigas, mercadão de pulgas e assim por diante. Nesse dia que eu fui estava um domingo muito chuvoso, choveu demais pela manhã e não deu para aproveitar muito a feira, logo saí de lá.





Mas é um bairro bem interessante, umas ruas bem charmosas, bem arborizado, lojinhas interessantes, umas coisinhas meio hippies , sabe ? parece um bairro bem alternativo mesmo, com muita gente jovem morando por lá.  Gostei desse bairro, eu moraria lá …risos (claro)




Pra vocês, novamente, o Fremont Troll :

Categorias:Seattle, USA

Seattle – Seattle Center

22 de maio de 2017 Deixe um comentário

O Seattle Center foi criado em 1962 para uma feira mundial educacional, que visava arte, educação , cultura e turismo. É um dos pontos turísticos mais visitados da cidade , recebendo turistas do mundo inteiro, inclusive excursões de escolas da região e da própria cidade de Seattle. O Seattle Center, abriga o Space Needle , que é uma torre onde temos o mirante para a cidade , também tem o Pacific Science Center, que é o museu da ciência, o Pop Culture Museum, que é o museu da música e da cultura pop, o Children Museum que é o museu da criança e também o Chihuly Garden and Glass, que é o jardim de vidro, entre outras atrações.


Desde 1962 o Space Needle se concretizou como o símbolo de Seattle.  Essa torre de observação da cidade de Seattle tem 184 metros de altura e a viagem até lá no elevador dura apenas 41 segundos. Seattle de lá de cima é maravilhosa ! a vista é linda e eu tive muita sorte de pegar um lindo dia, com céu azul, super ensolarado. Dá para enxergar as montanhas nevadas de fundo, a vista é perfeita e o dia estava perfeito.








O Museum of Pop Culture eu também não deixei de ir, fica atrás do Space Needle, no mesmo parque do Seattle Center. Esse museu foi fundado pelo co-fundador da Microsoft, Paul Allen, no ano de 2000 e é um dos museus mais visitados em Seattle.



É um museu que conta a história musical da cidade de Seattle, seus nativos celebres como Jimi Hendrix, por exemplo e bandas importantes do cenário grunge, como Nirvana. Ele tem um acervo enorme e o museu em si também é super interativo, tendo salas onde podemos tocar diversos instrumentos musicais, etc. Eu amei esse museu !







Tem um lojinha do rock nesse museu que é de tirar o fôlego dos fãs… eu comprei algumas camisetas.




Um outro lugar que eu quis entrar no Seattle Center , foi o Chihuly Garden and Glass, onde fica o jardim todo de vidro. Esse jardim de vidro foi aberto em 2012 e ele mostra uma variedade de exposições com flores e jardins todos feitos de vidro. Tem uma área nesse museu onde você vê eles fazendo essas flores de vidro. É bem bonito, gostei muito também.










Gostaram ? esse dia realmente estava lindo e especial. Foi o primeiro dia inteiro que tive em Seattle e ver a cidade de cima, como ela é, com as montanhas de fundo , e depois todo esse cenário musical no mesmo lugar, dia maravilhoso esse, vou me lembrar pra sempre.

Categorias:Seattle, USA

Seattle – Waterfront

17 de maio de 2017 4 comentários

Waterfront em português pode ser traduzido como beira mar, ou margem do lago ou mar, ou oceano. E o waterfront de Seattle é lindo de ver ! eu andei longas caminhadas pelo waterfront de Seattle, ouvindo minha musica no fone de ouvido, com uma temperatura agradável , uma delícia. Visual maravilhoso, enxergamos o mar e de fundo algumas montanhas nevadas, é incrível e super perto do centro da cidade, atrás do Pike Place Market, não tem erro.



O waterfront começa pelo lindo cenário da great wheel, uma enorme roda gigante , com vários restaurantes a beira mar com o por do sol mais lindo do mundo e também com o aquário de Seattle ❤



Se você caminhar mais a frente, você logo passa pela Marina de Seattle, que também é um lugar belíssimo, com vários barcos lindos, restaurantes e muita gente passeando pelo calçadão .





Mas à frente você vai chegar ao Olympic Sculpture Park, que é o parque Olímpico de Seattle, onde também tem uma vista maravilhosa do mar e das montanhas de fundo. Esse parque é mantido pelo museu de arte de Seattle e foi aberto em 2007 com várias esculturas lindas pelo parque todo. Esse parque é um lugar aberto e gratuito para o público.











Seattle é uma cidade muito gostosa para caminhar, principalmente nessa região perto do mar, onde tudo é mais plano. Lá você vê muitas pessoas correndo, de patins, de skate, de bicicleta, passeando com seus cães, fazendo caminhadas, é uma vibe muito boa 🙂









Lindo né  ??? o por do sol daqui é maravilhoso, vale a pena e recomendo muito !

Categorias:Seattle, USA

Seattle – Pike Place Market

15 de maio de 2017 2 comentários

Pike Place Market é o lugar ! eu sempre ouvi falar desse mercado famoso dos Estados Unidos e sempre tive vontade de conhecer. E não é que fiquei hospedada com a janela do quarto de frente para o mercado ? melhor lugar.




O Pike Place Market é um dos mercadões mais conceituados dos USA — ele tem praticamente de tudo ! tem até subsolo com várias vendinhas e restaurantes. Na verdade ele é cheio de restaurantes, padarias, produtos frescos, sanduicherias , desde o mais sofisticado até o mais simples, mas tudo da fazenda, orgânico, frutos do mar feitos na hora, só comida fresca. É um paraíso para os comilões de plantão. Só coisa boa ! e claro, não é barato, nada é barato por aqui, pois tudo que você encontra no Pike Place Market é do mais alto nível e melhor qualidade, então prepare o bolso.









O Pike Place Market teve sua abertura em 1907 para acomodar os pequenos fazendeiros da região de Seattle. Antes de 1907 , esses fazendeiros já costumavam vender seus produtos na rua onde é o mercado hoje , por isso a decisão de fazer um mercadão lá . É também a casa do primeiro Starbucks do mundo ! Sim, como já falei num post anterior, o Starbucks nasceu em Seattle, em 1971, no Pike Place Market. O primeiro Starbucks continua lá, intacto, com filas enormes para entrar, pois virou um ponto turístico.




Todo esse mercado é o ponto turístico de Seattle. Turistas o tempo todo, câmeras de canais de TV filmando o movimento, artistas de rua em volta do mercado, ou seja, lugar para todo mundo ir passear mesmo. Lugar gostoso, céu aberto, gente bonita, cachorros passeando, turistas tirando fotos, pessoas comendo…. lugar delicioso !!!




E uma atração turística desse mercado, é que tem o Gum Wall, o muro dos chicletes em volta do mercado. O Gum Wall é um muro de tijolos inteiro coberto por chicletes  ! 🙂 a tradição começou em 1993 e desde então já apareceu em vários seriados e filmes. rs




Bom, vamos falar de comidinhas gostosas ??? o que eu comi no Pike Place Market ???

Um lugarzinho que eu ia praticamente toda manhã é o Ellenos Greek Yogurt . Gente, é fantástico ! tem que ir. Iogurte grego caseiro, você compra de potes, na hora, feito na hora, no sabor que você quiser, tinha muitos recheios como frutas vermelhas, cheesecake de limão, mel, cookies, muitos sabores mesmo ! é um lugar com fila grande o tempo todo, recomendo que cheguem de manhã para experimentar o melhor iogurte grego que comi na vida.


Uma padaria muito conceituada no Pike Place Market e muito famosa pelos macarrons franceses, é a padaria francesa Le Panier. Eu fui tomar café da manhã lá um dia e também fui comer macarrons um outro dia. Também super cheia, quase impossível conseguir mesa, mas conseguimos, foi onde fiz amizade com um grupo de meninas da Ucrânia 🙂 (obviamente falamos muito russo  )







E por falar em russo ………… um lugar que é muito, mas muito famoso no mercado é Piroshky Piroshky . Piroshky em russo quer dizer “salgados” , tipo uma esfiha ou torta do Brasil, por exemplo. Esse lugar só vende esses salgados russos e a fila vira quarteirão na rua, é uma loucura ! tem vários recheios, carne moída, cogumelos, queijos, cebola, etc ….. bem famosinho também, está na lista dos melhores do Pike Place Market. (esse monte de gente na foto é a fila que virava a esquina… )



Agora pare e pense …….. a comida mais típica de Seattle são frutos do mar, pratos com frutos do mar. E tem um prato chamado “chowder”, que é um creme ou sopa de frutos do mar que é o queridinho dos americanos, especialmente nesse lugar chamado Pike Place Chowder. É uma loucura de tanta gente ! Mas olha, enfrentei fila, sentei numa mesa com outras pessoas, e esse chowder é a coisa mais maravilhosa de frutos do mar que comi na minha vida, gente, é sério. Sabe quando você quer voltar pra Seattle só para comer isso de novo ?  Esse lugar é um sucesso, não tem pra ninguém ! Super recomendo. Ele vem acompanhado com biscoitinhos salgados, delicioso, bem quente, bem cremoso, aiiii que vontade ! Pike Place Chowder é o lugar !


E por falar em frutos do mar……….. também quis experimentar o ” fish and chips” de lá , já que só tenho a referência de Londres. Pois bem, o lugar para comer fish and chips no Pike Place Market é o Jack’s Fish and Chips. É uma peixaria dentro do mercado que também serve pratos como fish and chips, camarões fritos , lagostas, e outros frutos do mar ali mesmo na peixaria ! Eles vendem peixes frescos e também servem no balcão, tudo ali junto. Maravilhoso, também lotado de gente. Jack’s Fish and Chips eu recomendo demais também.


Agora paraaaaaaaaaaaa tudo ! o que significa o sanduíche grelhado de salmão que eu comi nesse mercado ????? simplesmente fantástico. Dentro do mercado tem um lugar chamado Market Grill , que serve o sanduíche de salmão mais procurado e famosão do Pike Place Market. É divino. Combinação perfeita, salmão grelhado na baguete também grelhada, com molho tártaro….. perfeito, fiquei com vontade de voltar e comer mais, sério, demais ! Market Grill é o lugar !



Senhor Jesus esse lugar que vou falar agora ……… esse lugar se chama Beecher’s Handmade Cheese. Pare, pense, respeire, vamos lá. QUEIJO ! Muito queijo ! tudo feito de queijo ! Bom, essa loja de queijos artesanais também funciona como restaurante – sem lugar para sentar, mas um balcãozinho que todos comem ali mesmo. Gente, é demais ! os queijos são maravilhosos, de vários tipos, todos feitos ali mesmo , a fábrica é ali , tudo acontece na loja e ainda podemos ver, por um vidro, como são feitos os queijos, é fantástico ! eu sou fã numero 1 de queijos, né. Nesse lugar eu fui duas vezes. Na primeira vez comi o tradicional mac and chesse, que é o macarrão com queijo deles, e no outro dia eu comi o grilled cheese – que é o sanduíche grelhado de queijo. Tudo muito bom, e ainda fiquei com vontade de comprar uma tábua de queijos com torradas, mas só fiquei na vontade, não voltei mais.






Outro lugar é o The Crumpet Shop, no mercado Pike Place Market. Um lugarzinho minúsculo que serve os melhores crumpets da região …. hummmmm  o que seria um crumpet ? sabe que eu nem sabia, mas aprendi. Bom, pelo que comi, crumpet é um tipo de uma panquequinha fofa com vários sabores de recheios, doces ou salgados. Eu comi o de limão siciliano com cream cheese e bebi café, estava de manhã. Amei demais ! muito, mas muito bom. Recomendo demais o The Crumpet Shop. Ah ! um dia eu fui lá à tarde e me disseram que os crumpets havia acabado …. então, é melhor ir cedo, enche de gente também – outro lugar que conseguimos lugar pra sentar no tapa…rsrsrs


E para sobremesa………… eu fui no The Confectional . É uma lojinha fofa no Pike Place Market que vende mini cheesecakes ! amei pouco né ? peguei um mini cheesecake de peanut butter, estava delicioso, perfeito, super recomendo também. Não deu tempo para ir comprar mais, só fiquei na vontade.




Gostaram das comilanças ? o Pike Place Market é o lugar para ir em Seattle, mais de um dia , para poder experimentar de tudo ! 🙂 ( nossa , fazendo e vendo esse post , parece que comi muito em Seattle……….rsrsrs… mas não gente, eu fiquei 10 dias lá ! eu até que queria comer mais ou repetir essas delícias mas não deu ! rs )

Gente, todo lugar do Pike Place Market tem fila e você consegue lugar pra sentar no tapa….risos, mas olha, vale muito à pena ! se não tiver lugar para sentar, compra e come na rua mesmo, nas pracinhas em volta, lugar é o que não falta ! o que não pode faltar é a vontade de experimentar todas essas delícias ! Recomendo demais !

Depoimento de viajante – Ellen

9 de maio de 2017 8 comentários

Olá pessoal ! hoje recebi um Depoimento de Viajante muito bacana e interessantíssimo para as mamães viajantes ! É a Ellen, ela viajou para New York com sua bebê e aqui ela conta como tudo ocorreu com muitas dicas para quem quer viajar com seus filhotes ! Espero que gostem e muito obrigada Ellen por seu depoimento ! ❤

Conheci o blog da LuRussa há 9 anos atrás, quando eu saí do país pela primeira vez para me aventurar num pós-doutorado na Espanha, e sempre viajei junto com ela nas postagens e andanças pelo mundo. Coincidentemente, a Lu foi desbravar Nova Iorque nas vésperas da nossa viagem em família, então aproveitei para acompanhar e anotar algumas dicas.

Na primeira vez em que fomos para Nova Iorque, eu ainda estava grávida e foram dias de muito frio pós-nevasca. Aproveitamos o único dia de sol para ir ao Empire State Building e para conhecer a Estátua da Liberdade, e dedicamos os dias de neve para conhecer os museus. Desta vez, com um tempo mais agradável, pudemos explorar as aventuras de viajar com uma bebê de 1 ano e 9 meses!!

Fomos eu, meu marido, sua filha de 14 anos e a bebê em dois vôos noturnos na classe econômica da American Airlines. Apesar do feriado de carnaval, os vôos não estavam lotados. No vôo da ida, a empresa nos reacomodou em duas janelas com dois lugares, então voamos tranquilamente e a bebê pôde ir sentada em sua própria cadeira. No vôo da volta, nos recondicionamos por nós mesmos em duas janelas com três lugares. Assim, as meninas poderiam usufruir duas cadeiras cada uma. Para quem é mãe ou tem 1,86m, ou os dois como eu, este fator é fundamental e garante o sono tranqüilo do bebê. A empresa não ofereceu uma alimentação especial para a bebê (eu também não fiz solicitação prévia), mas ofereceu uma bandeja para ela também. Ela comeu o que costuma (cenoura, ervilha, macarrão, biscoito de água e sal) e tomou suco de laranja e água. A programação infantil no vôo também a entreteve, uma vez que eu não faço uso de celulares ou tablet com programações para ela. Geralmente levo um brinquedinho e um livro e ela fica bem com isso mesmo. Os vôos foram tranqüilos, ela comeu, viu um pouco de desenho e dormiu o tempo todo. Nunca teve problema de pressão no ouvido e caso precise, os banheiros contam com trocador.

Ah! Eu não viajo com carrinho. Nunca viajei com eles, sempre carreguei a bebê no sling ou canguru. Um canguru é fundamental para viagens a passeio, principalmente na hora do cochilo ou quando bate aquele vento!!!

Seguindo a primeira dica que peguei com a Lu, comprei o MetroCard para todos. Compensa mesmo! E fomos valentes!! Ida e volta de Manhattan de metro!! Nos horários de rush, com malas e bebê no colo! Já havia visto que o hotel ficava bem pertinho do metro e não precisávamos fazer nenhuma baldeação e foi bem tranqüilo.

Ficamos no The Manhattan at Times Square Hotel, localizado na esquina da 7ª avenida com a 51th. O hotel é antigo, com quartos limpos e cômodos para uma família como a nossa. A localização é excelente, há duas quadras da Times Square. Você sai do hotel e pronto: já está no burburinho. Os funcionários são excelentes, nos liberaram o quarto às 7:00 e nos deixaram sair às 16h, enquanto os horário de check-in e check-out são 14h e 12h, respectivamente. Foram generosos pelo fato de estarmos com o bebê. Pode até parecer que não, mas esses horários fazem muita diferença após um longo vôo. Nós ficamos muito contentes com a escolha.

Dicas de mamãe:

– AMAMENTAÇÃO

Eu ainda amamento a minha bebê e achei que poderia ser um problema devido ao frio e à cultura. O primeiro tirei de letra, pois não estava nevando. Aboli o sutiã e usei blusinhas de alcinha com um suéter por cima e um casaco grosso para completar. Desta maneira, ficava fácil amamentar no metrô, museus, restaurantes, caminhando, sentada na Times Square e etc. Quanto à cultura, havia lido que os americanos eram meio polêmicos quanto aos seios à mostra mas não tive problema nenhum, não percebi nenhum olhar desaprovador, muito pelo contrário. Senhorinhas sempre sorridentes me olhando e concordando com a cabeça. Em determinado momento, um moço pediu para me desenhar dentro do vagão do metro durante uma viagem. Pena que ele desceu e fiquei sem uma cópia.

– ALIMENTAÇÃO

Minha bebê não come papinhas industrializadas e é fã de feijão com arroz. Achei muitas variedades das primeiras e nem me aventurei a procurar restaurantes brasileiros, mas pode ter certeza de que eles existem e podem ser boas opções caso seus filhos sejam “difíceis” para aceitar novos sabores.

Logo quando fizemos o check-in no hotel, saímos para tomar café no Tim Hourtons e aí já tivemos uma boa sacada: os americanos costumam tomar sopas e então não teríamos problemas com a comida. Dito e feito, a sopa de “chicken and noodles” do Tim Hourtons virou a favorita. Barata e gostosa vem com macarrão, cenoura, pimentão e frango. Joana tomava até o caldinho.  Assim, quando saímos para passear sem saber onde pararíamos, passávamos no Tim Hortouns, comprávamos a sopa e transferíamos para um potinho térmico. Foi assim que Joana almoçou no meio da Brooklin Bridge e dentro do One World Observatory.

Outra sopa favorita foi a de ervilha do Junior’s. Bem consistente e cremosa, a bebê curtiu muito. Aliás, o cheesecake original deles é uma delícia também! Assim como outras comidinhas. Nós provamos muitos itens do cardápio em vários dias da nossa viagem. O local é bonito, moderno e agradável, com um cardápio que agrada bem várias idades e preços justos. Recomendo para quem quer dar uma paradinha no passeio, apreciar o movimento (eles têm mesas externas) e bom atendimento. Fui lá com a dica do cheesecake da LuRussa e no final já queria morar naquele lugar rs.

– PASSEIOS

Como a LuRussa, atravessamos a Brooklin Bridge nas duas direções à pé e, apesar de cansativo, foi uma boa escolha. O dia estava lindo e ensolarado e a travessia é prazerosa. Na ida a bebê estava dormindo, mas voltou toda serelepe andando e brincando. O único cuidado que tivemos que tomar foi com as bicicletas, mas em geral foi tranqüilo. Não chegamos a descer no parque no lado do Brooklin. Eu queria levá-la ao carrossel, mas já estávamos cansados e achamos melhor voltar.

Escolhemos visitar o Top of Rock no início da noite e foi uma boa pedida. A vista noturna de NYC é de tirar o fôlego! Como existem três observatórios na cidade (Empire State, Top of Rock e One World), recomendo que subam em um deles à noite para visões diferentes. E recomendo o Top of Rock por ter a mesma visão do Empire State (incluindo o mesmo) e ser fechado. No Empire State, a área de observação é aberta e venta muito. E o One World Observatory te dá uma visão geral de todos os ângulos da cidade, o que fica melhor visualizado e muito charmoso de dia. Também visitamos o MOMA. É um museu pequeno e viável de se visitar com um bebê. Ela se encantou com quadros com cavalos e cachorros.

Nas ruas, a carreguei no colo e também andei de mãos dadas. Na verdade, às vezes ela soltava a mão e até atravessava a rua sozinha. Apesar da muvuca, as pessoas são receptivas com crianças e passeamos tranquilamente pelas ruas e avenidas da Big Apple.

– COMPRAS

Carter’s! Toda mamãe já ouviu falar nesta marca. Minha dica é: comprem on-line e mandem entregar no hotel ou retirar na loja mais próxima. É a opção mais barata e com mais descontos. As lojas são uma bagunça e reviradas, você vai acabar perdendo tempo e paciência. Comprar on-line também te permite melhores escolhas e economias.

Para brinquedos, optei pela Target, mas também há outras boas lojas. Aproveitei os descontos do feriado do President Day e fiz as compras pela internet para entregar na loja. Fomos até lá retirar, o que deu um pouco de trabalho, mas nada de outro mundo. Também recomendo a rede de lojas KMart, que é uma grande loja de departamento com muitas opções para todas as idades.

Bem, este foi um breve relato do nosso passeio em família com um bebê e espero que ajude nas dúvidas de alguma mamãe de primeira viagem, literalmente.

Beijos

Ellen

PARA VER OUTROS DEPOIMENTOS DE VIAJANTES, CLIQUE AQUI !

Categorias:Depoimentos

Seattle – Volunteer e Viretta Park [Soundgarden e Nirvana]

24 de abril de 2017 5 comentários

Como eu estava falando no post anterior sobre minha paixão pelo cenário musical de Seattle e toda a conexão que eu tive lá, eu tive que ir a esses lugares, que hoje em dia são ícones de uma época que não existe mais. É muito difícil encontrar vestígios dessa época grunge de Seattle, pois a maioria dos estabelecimentos fecharam com o decorrer do tempo e os sinais foram desaparecendo time after time, mas mesmo assim, se você pertencia a essa época, você consegue enxergar , como falei no post anterior. [ se quiserem entender mais a fundo, leiam o post anterior ]



Um lugar bem marcante para quem amava ou ama, como eu, a banda Soundgarden e Chris Cornell, é o Volunteer Park. Além de ser um parque lindo, muito arborizado, onde se enxerga o Space Needle de lá e recomendo para qualquer turista, tem uma escultura que nos leva ao período grunge em questão. Essa escultura se chama Black Sun, de 1969. Essa escultura foi a inspiração da música Black Hole Sun , da banda Soundgarden, música icônica dessa época, com o video clip onde aparece abstratamente essa escultura do Volunteer Park.






O vídeo do Soundgarden, vocês conseguem enxergar a conexão com a escultura ???

Como chegar no Volunteer Park saindo do centro de Seattle ? Bom , pegue o ônibus 49 LOCAL na Pike Street com a 4th Street, rumo ao University District Broadway, e desça na 10th Avenue com Prospect Street. o parque está bem na sua frente .






Outro lugar que virou ponto turísticos dos fãs do grunge da época é o Viretta Park. O Viretta Park fica no bairro onde Kurt Cobain morou e viveu seus últimos momentos com Courtney Love. E nesse parque há um banco onde ficou sendo o símbolo de Kurt Cobain, o memorial do cantor. Boas línguas dizem que Kurt costumava sentar-se nesse banco, e obviamente as más línguas [eu as chamo de urubus ] dizem que realmente não há prova que isso tenha acontecido. Só sei que esse banco ficou sendo o memorial para o Kurt Cobain e todos os dias fãs do mundo todo vão para esse banco , nesse parque, prestar sua homenagem. Há muitas coisas escritas nesse banco para sua homenagem, algumas flores, e também algumas coisinhas que Kurt gostava como cigarros, etc… Eu fui para esse parque bem de manhã, fiquei meio perdida pelo bairro lindo e arborizado perto do Lago Washington, estava totalmente sozinha pela vizinhança até encontrar o Viretta Park e o banco de Kurt… o dia ainda estava amanhecendo e não havia ninguém no parque ou pelo bairro todo. Dia lindo. Fiquei lá um pouco nesse banco e até eu pegar o ônibus de volta para o centro de Seattle, realmente não vi ninguém. Era sábado e foi a primeira coisa que fiz no dia.






Eu também deixei minha homenagem no banco …

Como chegar no Viretta Park partindo do centro de Seattle ? pegue o ônibus 2 LOCAL na Pine Street com a 3rd Street rumo a Madrona Park, e desça em Madrona Dr com 38th Avenue. Atravesse a rua, a esquerda, sempre no sentido do Lago Washington.



já estão enjoados dessa minha nostalgia com  o cenário musical de Seattle ? rs

Categorias:Seattle, USA

Seattle – sonhos e muita nostalgia musical

20 de abril de 2017 4 comentários

Eu fui aquela adolescente. Sabe aquela menina que usava camisa xadrez e calça jeans rasgada no início da década de 90 ? eu fui essa menina. Até uma boina eu tinha.(também xadrez) . Eu era aquela menina , que em 1991 eu não largava por nada minha MTV. Eu gravava os videos clips, esperava ansiosa pelas minhas bandas favoritas passarem na programação, cantava junto e sonhava em um dia assistir algum show deles ou até mesmo ir a Seattle. Eu era exatamente essa adolescente, início dos anos 90, muito rock já vindo de Guns’n’Roses e outras bandas, e o nascimento do movimento grunge, que se deu início em Seattle com minhas bandas que são favoritas até o presente momento. Meu gosto musical de hoje em dia começou nessa época, para mim foi o divisor de água no meu estilo musical e até estilo de vida. Só quem foi adolescente ou jovem nessa época ( e curtia rock internacional ) vai entender a força e a intensidade desse período, desse movimento, e só essas pessoas entendem o significado do nome dessa cidade : Seattle. A minha vida inteira eu relacionei Seattle com música, com minha adolescência, com essa época que era totalmente musical; eu não tinha nenhuma outra associação com Seattle a não ser a música e todas essas bandas icônicas desse cenário grunge. Seattle para mim não existe sem essa referência, essa é a minha referência, minha conexão, mas poucas pessoas conseguem enxergar isso ao visitarem Seattle.






Seattle era um sonho para aquele adolescente do início da década de 90. Um sonho praticamente impossível, pois naquela época as pessoas não viajavam como viajam agora e nem tínhamos internet para ficarmos antenados sobre tudo, tínhamos somente rádio e MTV , que já nos ajudavam muito. Nem quando eu fui fazer intercâmbio nos USA , em meados da década de 90 … eu era menor de idade, Seattle sempre muito longe de tudo, era realmente um sonho muito distante. Ouvíamos falar, ouvíamos as bandas, conhecíamos Seattle pela TV , sabíamos das histórias e polêmicas que aconteciam por lá naquela época, tudo pela MTV e os noticiários que esse canal tinha . O mundo sem internet era tudo muito misterioso… tudo ficava na nossa imaginação, não sabíamos de nada ao certo, nada era muito palpável como é agora, só restavam os sonhos e nossa imaginação. Nada era instantâneo naquela época, e muito menos imediatista, tudo acontecia no seu devido tempo, as informações chegavam com atraso e levava um tempo para serem digeridas , aproveitávamos tudo com mais parcimônia, e por mais que esse movimento, essa fase grunge tenha sido tão curta, com tantas mortes e vidas interruptas tão cedo, ela foi apenas uma raíz, ela foi o começo de tudo e quem viveu intensamente tudo isso que estou falando, entende esse texto. Quando eu falo que foi apenas o começo, eu estou dizendo a respeito do cenário musical mesmo, as bandas que foram influenciadas por esse movimento que depois foram chamadas de bandas alternativas ou bandas indies, na verdade só mudaram os nomes. Tudo começou em Seattle, gente, e isso me emociona.

Eu não tenho palavras para descrever a conexão que eu senti em Seattle. Vários lugares da cidade por onde eu passava eu simplesmente voltava para os anos 90. Nada me surpreendeu por que foi exatamente o que eu esperava. Não esperava menos e nem fiquei com aquele receito de me decepcionar, eu já sabia. Eu já fui com o coração aberto. ❤

Singles (1992) era meu filme favorito —

Sabe que com a ascensão das bandas grunge e todo o movimento nos anos 90, muita, mas muita gente atravessou o país para tentar uma chance em Seattle. Chance na música. Surgiram muitas bandas por lá nessa época que não fizeram sucesso algum. Os bares eram lotados de bandas grunge ao vivo a todo momento. Foi assim que muitas bandas famosas foram descobertas, como Nirvana por exemplo. Mas com a migração muito alta para Seattle, muita gente ficou na cidade sem conseguir praticamente nada, pois como sabemos, no meio de 1 milhão 10 se destacam, o mundo é assim.  E obviamente foi uma época que cresceu muito o número de usuários de drogas pesadas, especialmente heroína. Todos que pertenciam a esse cenário musical de Seattle eram usuários de drogas, como vocês bem sabem, muitos morreram de overdose antes de chegarem ao ano 2000. E eu pude ver isso em Seattle e foi algo que me marcou muito. Há muitos usuários de drogas nas ruas de Seattle hoje em dia, mas não vi muitos jovens , e sim pessoas da minha idade. Seattle é uma cidade com um numero muito grande de moradores de rua usuários de drogas, maioria brancos, e eu acredito ( já li a respeito ) que uma grande parcela são as pessoas que foram morar em Seattle nos anos 90 com a ascensão da cidade, das bandas de rock e devido a todos esses sonhos de ir morar na “cidade do momento” , são essas pessoas, na faixa dos 40 anos pra cima, brancas, muitas delas com estilo de roupa bem rock’n’roll. Eu vi muito isso em Seattle e conectei aos anos 90 na hora, senti isso. Depois fui ler a respeito e realmente isso aconteceu, as pessoas que não conseguiram nada em Seattle nos anos 90  permaneceram lá sem dinheiro, depois sem para onde morar, já estavam nessa vibe da música, já usava drogas na época, e hoje em dia vivem como indigentes. Pesquisei muito sobre isso e fiquei sabendo que até tem uma rua famosa na cidade onde ficam os usuários (seria a nossa cracolândia, digamos assim ), também há um lugar mantido pela prefeitura onde os usuários tem acesso às seringas descartáveis e outros tipos de objetos de necessidade pessoal e/ou relacionado às drogas. Depois de tudo o que aconteceu com Seattle no seu auge de bandas nos anos 90, no seu auge de usuários de drogas, podemos dizer que a cidade é ainda infestada de drogados pelas ruas pedindo dinheiro. Foi a consequência ruim dessa época.

Tenho certeza que muitos turistas não enxergariam isso como eu enxerguei e com o embasamento que eu tenho. Quem foi aquele adolescente grunge se conecta com tudo isso , de uma forma indireta, claro, mas consegue ter uma visão melhor do que acontece e por que acontece. Acho que enxergamos Seattle com outros olhos do que simplesmente achar uma cidade linda, cheia de montanhas, floresta, mar ….. tudo é muito lindo sim, mas quando você tem esse histórico, essa bagagem de vida, você vê a cidade de uma maneira mais crua. E foi assim que eu vi Seattle, e foi assim que me apaixonei por Seattle, não somente pelo seu por do sol e suas marinas , mas pela conexão que eu tive na cidade , conexão com minha vida , minha adolescência e tudo o que significou pra mim, o que me fez me tornar a pessoa que sou hoje.

Lágrimas nos olhos e coração apertado ? o tempo inteiro. Agora , por exemplo, escrevendo esse post. Me desculpe, mas não espere entender se você for muito mais jovem ou mais velho que eu. Foi uma fase rápida, a duração foi curta, apesar de intensa.

MINHA TRILHA SONORA EM SEATTLE 

Soundgarden – Black Hole Sun

Alice in Chains – Them Bones, Would ? , Angry Chair, Man in the Box, Rooster

Nirvana – Lithium, Rape Me, The man who sold the world, About a girl

Temple of the Dog – Hunger strike

Pearl Jam – Jeremy, Black

Ima Robot – Scream

Stone Temple Pilots – Creep

Blind Melon – No Rain

Screaming Trees – Nearly Lost You

Audioslave – Lose Yourself , Like a Stone

Hole – Violet, Doll Parts, Celebrity Skin

Resumo da obra : PUTA VIAGEM INESQUECÍVEL ❤

Categorias:Seattle, USA

SEATTLE – Informações Úteis

17 de abril de 2017 4 comentários

Seattle é longe pra caramba. A cidade fica lá no Pacífico, você tem que atravessar os USA inteiro ou Canadá. São dois vôos. Eu voei com a Air Canada e fiz minha conexão em Toronto,Canada. Então foi São Paulo – Toronto ( 10 horas ) e mais umas 4 horas e meia de Toronto a Seattle. Por que Seattle ? bom, uni o útil ao agradável. Primeiro por que o Congresso internacional de profissionais da língua inglesa ( TESOL ) foi lá esse ano, e segundo, por que era um sonho de adolescente. (falarei mais sobre esse sonho em outro post ) .

Vamos à algumas informações úteis ?

Do aeroporto SeaTac até o centro de Seattle é muito fácil ! Do aeroporto é só seguir a placa Link Light Rail , caminhar dentro do aeroporto seguindo essa placa até chegar na plataforma dos trens. Lá mesmo você compra seu bilhete no caixa automático para a parada em Westlake Center , que fica bem em Seattle downtown, centrão de tudo. Vai te custar um pouco mais de 3 dólares…. ainda quer pegar taxi ? não seja bobo… Veja o mapa do trem abaixo :

Seattle

(nome oriundo de Chief Sealth, líder de uma tribo indígena de lá –  Sealth – Settled  – situado/ estabelecido- )

País : Estados Unidos

Estado : Washington

Oceano : Pacífico

População : aprox 655.000 habitantes

Clima : chuva,neve, neve, chuva

Vegetação : cercada por água, floresta e montanhas

Hora : 4 horas a menos de São Paulo

Duração da viagem : 10 dias

Motivo : primeiramente , a negócios

Acomodação : Green Tortoise Hostel ❤

Tem que ter em mãos : app Transit Tracker Seattle

Você vai baixar esse aplicativo no seu smartphone e vai poder usar para pegar transporte público em Seattle. É muito fácil, rápido e eficiente, até o bilhete da sua passagem você pode comprar por esse aplicativo. É só digitar onde você está e para onde quer ir, ele te explica com exatidão onde e como pegar seu transporte público. Ele só não reconhece endereço com nomes de ruas e tal, mas também pontos turísticos e lugares populares na cidade. Eu usei muito ônibus em Seattle e acertei todos os locais que queria ir. O app se chama Transit Tracker Seattle. É um MUST nessa viagem, tem que. Ah, se você quiser também pode pagar direto ao motorista, custa 2,50 dólares a passagem para qualquer lugar da cidade. ( o dinheiro tem q ser certo, eles não tem troco, você vai colocar o dinheiro numa maquininha ao lado do motorista )

Tem que levar : guarda-chuva e um bom tênis ( a cidade é só subir e descer morro )

Curiosidades sobre Seattle 

* Seattle tem mais cachorros que crianças, são 140 mil cães para 90 mil crianças (hmmm será q por isso q amei tanto ? rs)

* Seattle é a cidade mais “dog friendly” dos USA, praticamente em todo lugar você pode levar seu cãozinho ❤

* Seattle é considerada a cidade do café. Também, claro, o Starbucks foi fundado lá, sendo o primeiro do mundo ! e ainda está lá, como ponto turístico, cheio de turistas o tempo inteiro !

* Seattle é casa da rede Starbucks , a qual foi fundada em 1971

* Seattle está no topo do ranking entre as cidades com maior número de pessoas com educação superior nos USA ❤

* A banda Nirvana nasceu em Seattle, mas Kurt Cobain nasceu em Aberdeen, uma cidadezinha próxima

* A primeira vez que tocou uma música dos Beatles nos USA foi em uma rádio de Seattle

* Seattle tem a maior ponte flutuante do mundo ! são mais de 2 km de comprimento e atravessa o lago Washington

* Seattle NÃO é a capital do estado de Washington, a capital é Olympia

* Seattle foi a primeira cidade americana a usar policiais de bicicleta 🙂

* Seattle é a cidade com mais barcos no país ! 🙂

* A empresa Boeing de aviões foi fundada em Seattle

* A empresa Amazon.com foi fundada em Seattle, com sua sede lá

* Seattle também foi o lugar do primeiro posto de gasolina dos USA, aberto em 1907

* Em 1919 também houve a primeira greve de trabalhadores dos USA, que aconteceu em Seattle

* Seattle tem a população que mais compra óculos de sol de todo os USA..hehe 🙂

* Seattle também é a cidade onde tem mais música ao vivo em bares em todo os USA 🙂

* Seattle é a cidade natal de Jimi Hendrix

* Cidade natal de Chris Cornell, do Soundgarden (banda de Seattle)

* Cidade natal de Duff McKagan , do Guns ‘n’ Roses

* Seattle tem um dia do ano onde todos andam de trem sem as calças…rs , sério

* Apesar da fama de só chover em Seattle, a cidade chove menos que Nova Iorque e Chicago durante o ano

Depois quando vocês começarem a ler tudo sobre Seattle, acho que vão me entender o porquê desse LOVE 

Categorias:Seattle, USA

Estava viajando … março 2017

15 de abril de 2017 3 comentários

É … o meu mapinha aumentou 💙

Voltei de viagem há uns 10 dias. Fui para Seattle , USA, para participar de um congresso e aproveitei para conhecer um pouco do Canadá também, foi aí que meu mapinha deu uma aumentada, já posso checar Canadá da minha listinha de viagens.

Voltei bem cansada, afinal , eu tinha acabado de chegar da Viagem de Formatura com minhas alunas de inglês para Londres e Paris e logo já tive que pegar esse voo para a América. E  sem contar que o congresso em si é bem cansativo, muito produtivo, muito bacana, muito tudo, mas acima de tudo, é cansativo pra caramba, normal.

Já disse que esse ano vou ficar bem quietinha aqui no meu canto…risos, digo, sem viagens para muito longe, as vezes viajar enjoa, e pra ser bem sincera, eu gosto mesmo é de chegar, detesto viajar, a viagem em si, todo o processo, aeroportos, filas…. arghhhhh . E dessa vez na volta ainda tive um probleminha … o primeiro voo de Vancouver para Toronto teve uma falha técnica, mecanica ou sei lá o que, e teve que voltar para Vancouver, fazendo eu perder minha conexão em Toronto para Sao Paulo. Conclusão — cheguei ao Brasil um dia depois do programado e planejado. Fiquei sem dormir 2 dias praticamente. canseira né…

Vou começar a contar aqui pra vocês tudo sobre Seattle e Vancouver … principalmente Seattle , onde fiquei mais tempo e onde tive uma vivencia maior. Espero que vocês gostem dos meus relatos, lembrando que os posts sairão segundas e quintas feiras, começando quinta feira próxima.

Bom, é isso :-*) espero que vocês estejam aqui comigo durante meus relatos, que gostem e aproveitem muito e quem sabe queiram também viajar para esses lugares :-*)

UMA BOA PÁSCOA A TODOS !

%d blogueiros gostam disto: